Com exclusividade diretamente de Belém: CRÔNICA DA SEMANA: SOLARIUM

Com exclusividade diretamente de Belém: CRÔNICA DA SEMANA: SOLARIUM

0 1890
AMANDA BEATRIZ MARDOCK BRAGA
14018133_722275661263133_1848735068_n
CAPA DO LIVRO

Escreve aí! Quem sou eu para escrever sobre ficção científica? Sinceramente, considero um dos gêneros da literatura um dos mais difíceis. A primeira vez que ouvi alguns amigos comentando sobre o gênero e ainda utilizando abreviações, eu viajei na maionese. Naquela época, eu não sabia que em inglês o termo ficção científica era conhecido como Sci-Fi ou abreviado para SF e em português, é abreviado para FC. Ficava patetando e até hoje, pateto, ficou bobo admirando os textos e seus autores.

Ficção científica é um gênero literário desenvolvido no século XIX, que lida principalmente com o impacto da ciência, tanto verdadeira como imaginada, sobre a sociedade ou os indivíduos, cuja ação pode girar em torno de um grande leque de possibilidades como viagem espacial, viagem no tempo, universos paralelos e vida extraterrestre.

A ESCRITORA COM A SUA GENITORA
A ESCRITORA COM A SUA GENITORA
14102000_722287937928572_30913555_n
SIMPLESMENTE AMANDA MARDOCK

A ficção científica tem sido chamada de uma “literatura das ideias” e como falei quem sou eu para escrever sobre ficção científica? Espero que minha imaginação um dia possa visitar outros planetas, outras galáxias, conhecer outros seres.

A ESCRITORA NO DIA A DIA
A ESCRITORA NO DIA A DIA

Por isso, resolvi escrever esta minicrônica, apenas para dizer que não sei escrever, não é minha praia ou meu planeta, mas conheço alguém que faz isso com maestria e louvor: Amanda Mardock e vibro de alegria quando me deparo com um texto dinâmico, criativo e original. Principalmente, quando conheço a sua autoria.

Hoje tive essa grata notícia. Como a vida se renova e novos talentos surgem, nascem, explodem ou estreiam. Com o coração em festa e dividindo esta felicidade com minha amiga Fernanda Mardock Braga quero deixar meu registro de carinho e admiração por esta conquista recente de sua filha AMANDA MARDOCK  que teve uma de suas histórias selecionadas na coletânea de textos do livro “Solarium” com lançamento em São Paulo, dia 01 e 02/09/2016, Bienal Internacional do Livro, é mole? Não é qualquer um que consegue enveredar pelo gênero da ficção científica, haja muita criatividade. Então, Amanda Beatriz Mardock Braga, eu que te vi criança acompanhando, às vezes, tua mãe nas aulas de Direito, e hoje com 23 anos de idade, você é este grande sucesso na literatura.

13472234_692652244225475_293197495_nTe desejo saúde, garra, perseverança, luz divina e sucesso! Quando sua mãe me contou hoje pela manhã, não pude conter minha alegria em saber disso, ganhamos mais uma escritora. Inclusive, até então, soube que talvez seja a única paraense mulher a participar dessa Coletânea. É mole, mulher?! Quero meu livro autografado, não vejo a hora de ler.

Entre o real e o imaginário, entre a verdade e a fantasia aqui neste planeta contada, quiçá em outros, o que eu já nem sei mais, encerro a crônica da semana. Um beijo a todos fique com Deus. Ary Vital Filho.

Artigos similares

0 779